Pediatria e Puericultura


Há exatamente 121 anos, em 31 de agosto de 1884, foi inaugurado no bairro do Arouche o atual hospital da Santa Casa. Substituiu o antigo, situado na Rua da Glória, que não apresentava mais condições para o atendimento dos doentes. Foi erigido em terreno doado por Rego Freitas e Paes de Barros, tendo Luis Pucci como autor do projeto. O renomado Ramos de Azevedo foi o responsável pela construção do belo prédio no estilo gótico, inusitado em hospitais. Foi uma exigência do então provedor, o Arcipreste Jacintho de Andrade. O atendimento de crianças fazia-se inicialmente no Pavilhão Central, sob a direção do Dr. Euzébio Queiroz Mattoso, chefe do Serviço.

Em 1963 foi fundada a Faculdade de Medicina da Santa Casa, instituição particular, mantida pela Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho (FAVC), com apoio da Irmandade da Santa Casa de SP, que cedeu as enfermarias, serviços anexos e pessoal técnico.

A cidade, na época com 3 milhões e 500 mil habitantes, possuía somente duas escolas de medicina: a oficial, Faculdade de Pinheiros, e a particular, a Escola Paulista de Medicina, posteriormente federalizada. A Faculdade da Santa Casa dispunha então de 160 vagas para mais de 1000 alunos, que disputavam todos os anos os poucos lugares do curso de medicina.

O Dr. Leme da Fonseca, também livre docente na USP e Faculdade de Higiene, assumiu a cátedra de Pediatria da Faculdade de Medicina da Santa Casa de SP. Sua formação pediátrica foi adquirida em Viena e Berlim. Por ocasião de seu falecimento em 1966, foi substituído por Dr. Paulo de Barros França, que desde 1940 já atuava como médico assistente da pediatria. Clínico excepcional, com ideias modernas e estágio nos EUA, estruturou o ensino pediátrico em moldes acadêmicos e insistiu na necessidade da pesquisa médica e da publicação de trabalhos. Foi o introdutor da hidratação endovenosa, quando as gastroenterites de verão lotavam os serviços de atendimento pediátrico, levando a óbito por desidratação numerosas crianças. Modernizou o serviço dentário da pediatria, e com donativo da LBA, adquiriu as primeiras tendas de oxigênio e as incubadoras do pavilhão.

Durante sua gestão, formou-se em 1968 a primeira turma de médicos da faculdade. Dr. França permaneceu na chefia do Depto. de 1963 até 1970. Além de ter organizado a incipiente cadeira de pediatria, Dr. França criou as sub-especialidades pediátricas: nefrologia, gastro, pneumo, cardiologia e reumatologia. Em 1971 foi nomeado o Dr. Jacob Renato Woiski, professor de pediatria na Escola Paulista de Medicina, de onde saiu em 1954 para dirigir o serviço de pediatria da recém inaugurada Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Ficou na chefia do Depto. de Pediatria da Santa Casa de SP até 1978, tendo sedimentado noções de puericultura e dietética e inclusive publicado dois livros sobre nutrição infantil. No período de 1978 a 1980 a chefia foi exercida pelo chileno Dr. George Edward Howard, pediatra de grandes recursos. E entre 1980 a 1984 o departamento foi dirigido pelo Dr. Fábio Dória do Amaral, também chefe do serviço de cirurgia infantil do hospital.

Dr. Amaral foi um dos primeiros cirurgiões infantis do país, com treinamento nos EUA e introdutor desta especialidade na Santa Casa. Na sequência o Depto., de 1984 a 1990, foi dirigido pela Dra. Maria Verônica Coates, com residência médica em pediatria nos EUA. Teve como grande mérito a criação, em 1976, do serviço de adolescentes, um dos primeiros do país, o qual preencheu importante lacuna o atendimento pediátrico especializado. Também foi fundadora do Centro de Estudos Paulo Barros França, que oferece importante serviço de apoio técnico aos médicos e estudantes.

Entre 1990 a 1996 o Depto., já bem estruturado, foi dirigido pelo Dr. Júlio Toporovski, que desde sua graduação já trabalhava na Santa Casa.

Acumulando o cargo de Presidente da Sociedade Paulista de Pediatria, Dr. Toporovski conseguiu aprovar medida humanitária que obrigava os hospitais públicos a manterem um acompanhante ao lado das crianças internadas. Até então as internações pediátricas, tanto para as famílias como para os pequenos pacientes, eram extremamente traumatizantes. Outra conquista durante sua gestão foi a criação do curso de pós-graduação em Pediatria na Santa Casa de São Paulo.

De 1996 a 1998 o Depto. foi dirigido pela Dra. Heloisa Cattini Perrone, primeira ex-aluna da faculdade a ocupar a chefia da Pediatria. Depois veio as gestões do Dr. Roberto Mastroti e da Dra. Maria Tereza Gutierrez, também ex-aluna e que revitalizou o Centro de Estudos, proporcionando melhores condições de atendimento.

Entre 2006 e 2011, a Dra. Maria Lucia B. Passarelli, também ex-aluna da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, e Cardiologista Pediátrico, dirigiu o Departamento, promovendo importantes avanços administrativos, melhorando o desempenho de todas as Especialidades. Atualmente, o Departamento está sendo dirigido pelo Prof. Dr. Marco Aurélio Palazzi Safadi.

Em sucessivos anos, visitantes ilustres contribuíram, de maneira marcante, com sua passagem pelo serviço de pediatria da Santa Casa para o aprimoramento do Depto. Foram eles: Dr. Guido Fanconi (Zurich), Debré do H. Necker (FR), Ordway (EUA), Winberg Suécia) e a Dra. René Habib, todos de competência reconhecida internacionalmente e que contribuíram para a modernização da Pediatria.